segunda-feira, 8 de Fevereiro de 2010

STC 6 – MODELOS DE URBANISMO E MOBILIDADE
SEGURANÇA RODOVIÁRIA


Identifique as diferentes instituições que regulam a rede rodoviária nacional.

R: DGV, EP, BT, Brisa, Aenor, GNR e PSP.
DGV- DGV, ou Direcção-Geral de Viação, era um departamento do Ministério da Administração Interna do Governo de Portugal encarregue das matérias de contra-ordenação, segurança rodoviária, condutores e veículos.
EP- A EP - Estradas de Portugal SA, abreviada Estradas de Portugal ou EP, é uma sociedade anónima de capitais exclusivamente públicos criada a 21 de Dezembro de 2004, como EP - Estradas de Portugal, EPE, para se ocupar da administração das rodovias em Portugal.
BT- A Brigada de Trânsito tem como competências a fiscalização das disposições legais e regulamentares sobre viação terrestre e transportes rodoviários, para a Guarda Nacional Republicana.
Brisa- A Brisa é uma operadora de infra-estrutura de transporte em Portugal, gere seis concessões rodoviárias (Brisa; Brisal; Douro Litoral; Atlântico, Baixo Tejo e Litoral Oeste), que totalizam mais de 1.500 quilómetros, ligando norte, sul, litoral e interior do país.
Aenor- Uma SCUT também conhecido por Aenor é uma auto-estrada em regime de portagens virtuais, cujos custos são suportados pelo Estado Português. A construção e manutenção são da responsabilidade de uma empresa concessionária. A sigla SCUT é uma abreviatura de "Sem Custo para os Utilizadores".
GNR- A Guarda Nacional Republicana é uma força de segurança de natureza militar, constituída por militares organizados num corpo especial de tropas e dotada de autonomia administrativa, com jurisdição em todo o território nacional e no mar territorial.
PSP- A Polícia de Segurança Pública (PSP) é uma força de segurança portuguesa com as missões de defesa da legalidade democrática, de garantia da segurança interna e de defesa dos direitos dos cidadãos. Apesar de ter muitas outras funções a PSP é sobretudo conhecida por ser a força de segurança responsável pelo policiamento fardado e ostensivo nas grandes áreas urbanas de Portugal, estando o policiamento das áreas rurais reservado normalmente à Guarda Nacional Republicana.

Identifique os mecanismos de segurança presentes nos novos veículos automóveis.

R: Alguns modelos incluem características adicionais para maximizar a eficácia dos cintos de segurança:
Pré-tensor do cinto de segurança: Dispositivo de segurança que, no momento do acidente, elimina a folga existente entre o cinto de segurança e o corpo do ocupante. Com este sistema conseguem-se eliminar possíveis lesões e podem-se desenhar cintos que não pressionem demasiado. O tensor pode ser desencadeado por um sistema mecânico – uma mola – ou pirotécnico – um explosivo. À semelhança dos air-bags só pode ser utilizado uma vez, após a qual têm que ser substituídos. Limitador de carga: quando a força exercida no cinto atinge um determinado nível, o limitador de carga permite que o cinto desenrole aliviando a tensão a este patamar que é determinado em função do anão integrada com o airbag.

Cinto de segurança integrado:
Os veículos que utilizam este sistema, têm o cinto de segurança integrado no próprio banco, em vez de ser fixado ao pilar lateral e ao chão. O Cinto de segurança integrado permite uma adaptação mais confortável do cinto à posição do banco e uma retenção mais eficaz do passageiro no banco.
Indicador de uso de cinto de segurança: alguns modelos auto incorporam um sistema de aviso de utilização do cinto de segurança que alertam o condutor quando este não o está a utilizar, através de avisos sonoros ou indicadores no painel de instrumentos.
Airbags de cortina
Airbag frontal:
O airbag é uma espécie de almofada que se insufla numa fracção de segundo em caso de acidente, surgindo entre o corpo do ocupante do veículo e a estrutura interna do próprio veículo, com o objectivo de evitar lesões graves. Propiciando em caso de acidente frontal o controle do deslocamento da cabeça do ocupante e a distribuição dos esforços sobre uma área maior, possibilitando então uma redução da pressão sobre o corpo.

Airbags laterais com função suplementar:
Ao contrário do que acontecia até aqui, os airbags laterais já não protegem apenas o tórax, mas também a zona da bacia do condutor e do passageiro da frente. A capacidade de cada saco é de 15 litros, estando dividido em dois compartimentos, com pressões de accionamento distintas, de acordo com a intensidade do impacto.

Airbags de cortina:
Os airbags de cortina pretendem evitar lesões, na cabeça, que podem ocorrer quando o passageiro é projectado contra o tejadilho ou contra a lateral do veículo.

Outros sistemas de segurança passiva:
Revestimento das portas com blocos de poliuretano para deslocar o corpo do ocupante para longe da lateral do veículo visando evitar o impacto directo da carroçaria em deformação contra o corpo.
Apoios de joelhos para minimizar o “submarining” (mergulho do corpo por baixo do cinto subabdominal) que causa gravem ferimentos no abdómen, coluna vertebral e pernas.
Painéis de instrumentos e tablier arredondados e com superfícies amortecedoras de energia.
Espelhos retrovisores internos colapsíveis.
Bancos com assentos anti-submarining e apoios de cabeça e encostos «activos» dos bancos que permitem evitar o «golpe de coelho», mantendo o apoio de cabeça tão perto quanto possível do ocupante para evitar uma hiper extensão do pescoço.
Barras protectoras nas portas.
Coluna de direcção retráctil.
Mecanismos de Segurança Activa: (garantem uma condução mais segura e procuram prevenir acidentes)

Sistema anti-bloqueio de travões (ABS):
Esta tecnologia consiste num conjunto de componentes electro-hidráulicos que evitam que alguma das rodas dianteiras do veículo bloqueiem. Assim, estas podem responder com sucesso aos movimentos do volante durante uma travagem brusca.
Sistemas de controlo de tracção:
Os sistemas de controlo de tracção mais completos utilizam simultaneamente o EDS, o ASR e o ASC para que as rodas motrizes não patinem quer em aceleração, quer durante as reduções de caixa. Por outras palavras, sempre que numa aceleração os sensores do sistema detectem que uma das rodas motrizes está a patinar o sistema reduz o binário motor e, se necessário, acciona o travão da roda que está a patinar. Desta forma, é garantida uma maior estabilidade do veículo e evitando as derrapagens.
Sistemas de controlo de estabilidade:
Os sistemas de controlo de estabilidade, dinâmica de um veículo, conhecidos pela sigla EPS (Electronic Stability Program), corrigem situações de subviragem e sobreviragem assim como problemas de falta de tracção em acelerações ou reduções bruscas.
Sistema de assistência de travagem:
Sistema de apoio ao esforço aplicado pelo condutor no pedal do travão. Estudos científicos mostram que o esforço aplicado no pedal do travão pode não permanecer o suficiente ao longo de uma travagem. Neste caso, o sistema de assistência de travagem electrónica aumenta o esforço de travagem compensando o aliviar do pedal.
Proponha um novo mecanismo de segurança que, na sua opinião fundamentada, deveria obrigatoriamente, fazer parte dos automóveis.
R: Deveria ser colocado um bloqueador de velocidade, o automóvel deveria detectar a velocidade máxima de onde está a circular e impedir o carro de dar mais.

Realize um cartaz de prevenção dos Acidentes Rodoviários.
Usa o cinto?


Porque é que o seu filho não usa a cadeirinha?
A vida dele é menos importante que a sua?

Sem comentários:

Enviar um comentário